Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > nutrição > Dicas Nutricionais de Anemia Ferropriva
Início do conteúdo da página

Dicas Nutricionais de Anemia Ferropriva

Acessos: 15122

             A anemia ferropriva é caracterizada pela redução da quantidade de ferro no organismo, que se torna insuficiente para suprir as necessidades dos tecidos e da produção de hemoglobina e dos glóbulos vermelhos.

            Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a anemia ferropriva é considerada a carência nutricional mais prevalente no mundo. No Brasil, esta anemia afeta principalmente crianças abaixo dos dois anos de idade, gestantes e idosos. Entretanto, pessoas com uma dieta pobre em ferro estão sujeitas a desenvolver a doença.

            Entre os principais sinais da doença estão: palidez cutânea e nas mucosas, cansaço, sonolência, perda da memória, tonturas, fraquezas, dores musculares, falta de ar ou respiração curta, palpitação e taquicardia.

 

Orientações nutricionais

            Cerca de 10% do ferro da dieta estão na forma de ferro heme (animal), provenientes principalmente da hemoglobina e da mioglobina. O ferro heme é bem absorvido e seu nível de absorção é pouco influenciado pelas reservas orgânicas de ferro ou por outros constituintes da dieta.

            Os outros 90% do ferrodos alimentos estão na forma de sais de ferro, denominados ferro não-heme (vegetais e leguminosa); o grau de absorção deste tipo de ferro é altamente variável e depende das reservas de ferro do indivíduo e de outros componentes da dieta, como alimentos ricos em vitamina C, presente principalmente em frutas cítricas, o que melhora sua absorção. isso ocorre por que a vitamina C (ácido ascórbico) converte o ferro férrico em ferroso, tornando-o solúvel no meio alcalino do intestino delgado.

            ATENÇÃO aos inibidores da absorção: polifenóis - taninos presentes no chá e no café são os maiores inibidores da absorção de ferro dos alimentos, e o excesso de cálcio; fitatos - presentes em muitos cereais, inibem a absorção do ferro não-heme da dieta através da formação de complexo insolúvel.

 

Preferir:

- Vísceras (fígado, rim, coração, moela, língua de vaca), carne bovina, aves, peixes e ovos;

- Feijão preto, ervilha, lentilha, grão-de-bico;

- Grãos integrais ou enriquecidos, nozes, castanhas, rapadura, açúcar mascavo;

- Vegetais verdes escuros (couve, agrião, taioba, salsa, brócolis, espinafre)

- Alimentos ricos em vitamina C (limão, laranja, caju, acerola, morango, kiwi, goiaba, tangerina, abacaxi ou na forma de sucos) junto às principais refeições melhoram a absorção do ferro de baixa biodisponibilidade (fonte vegetal).

 

Evitar:

- Café, chá, refrigerante junto às refeições;

- Alimentos industrializados que contenham EDTA (reduz a absorção em 50% do Fe não-heme);

- Leite e derivados (iogurte, queijo, creme de leite, sorvete) com o almoço e/ou jantar, uma vez que o cálcio desses alimentos atrapalha a absorção do ferro. Consumir esses alimentos nos lanches.

 

***Curiosidades:

- Beterraba é fonte de ferro?

Não. Apesar de ser um alimento rico em vitaminas e minerais, a quantidade de ferro presente na beterraba crua é de apenas 0,8 mg em cada 100 gramas.

- Já que o ferro está presente, principalmente, nos alimentos de origem animal, os vegetarianos têm mais propensão a desenvolver a anemia?

Não. Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira, os vegetarianos têm a mesma prevalência de anemia por falta de ferro do que os não vegetarianos. Entretanto, o ferro de origem vegetal é mais sensível aos fatores que estimulam e inibem a sua absorção. A dieta vegetariana, ao contrário do que muitos pensam, não é pobre em ferro e, aliás, costuma ser mais rica nesse mineral do que a onívora. Por outro lado, a ingestão de vitamina C, que promove a absorção do ferro vegetal, costuma ser duas vezes maior do que a de onívoros.

-A anemia ferropriva pode ser causada por outros motivos além da baixa ingestão de ferro?

Sim. Algumas doenças causam hemorragias internas, que não são percebidas pela pessoa. E quando perdemos sangue, perdemos ferro, o que obrigada o organismo a buscar o ferro estocado. Algumas vezes esses sangramentos são visíveis como nas fezes, na urina ou no vômito. Entretanto, em algumas doenças, a pessoa não nota a hemorragia e só descobre a anemia depois do surgimento dos sintomas. Além de doenças, acidentes, cirurgias ou ferimentos que causam hemorragias também podem causar a anemia, porém na sua forma aguda e não crônica, que pode ser revertida mais facilmente.

 

RECEITA DE SUCO DE COUVE

1 litro de água filtrada e gelada

2 folhas de couve

3 laranjas

3 colheres de açúcar mascavo

Modo de preparo:

Adicione a água, as folhas de couve, as laranjas picadas e o açúcar  no liquidificador. Bata todos os ingredientes e coe.

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

- BORTOLINI, G. A.; FISBERG, M. Orientação nutricional do paciente com deficiência de ferro. Rev. Bras. Hematol. Hemoter., 2010.

- MATTHEW, W.; SHORT, L. T. C.; MC, U. S. A.; JASON, E. Iron Deficiency Anemia: Evaluation and Management. Am Fam Physician., v.87, p. 98-104, 2013.

- NORRIS, J. Iron in Vegetarian Diets. Vegetarian Nutrition, 2013.

- WHO (World Health Organization). Iron deficiency anaemia: assessment, prevention and control: A guide for programme managers. WHO, 2001.

 

SAFRA DO MÊS DE ABRIL

Frutas: Abacate, abacaxi, ameixa, banana-maçã, banana-nanica, goiaba, jaca, limão, maçã, pêra.

Legumes: Abóbora, abobrinha, berinjela, beterraba, cará, chuchu, jiló, nabo, pepino, quiabo, tomate.

Verduras: Acelga, alface, alho-poró, coentro, escarola, repolho, rúcula.

 

Elaborado por: 1° Ten Fabiana Casanova

Equipe de Nutrição e Dietética do Hospital Central do Exército

Fim do conteúdo da página